Alterações nas inspeções com regras mais rigorosas

A partir de 1 de novembro as inspeções vão ter novas regras. Controlo dos quilómetros entre inspeções e limpezas obrigatórias dos veículos são algumas das alterações impostas pelo IMT.

 

Foi publicado no passado dia 3 de julho pelo IMT a Deliberação n.º 723/2020 que visa na alteração do quadro de classificações de deficiências das inspeções téncnicas de veículos. 

Estas novas classificações de deficiências resultam da "transposição da diretiva 2014/45/UE que harmoniza para todos os Estados Membros, a definição e atribuição do grau de observações e verificações efetuadas nas inspeções técnicas a veículos automóveis, permitindo assim um reconhecimento mútuo das inspeções realizadas nos vários países.", refere o IMT em comunicado de imprensa. 

As principais alterações introduzidas são:

 - "Desdobramento de todas as deficiências detalhando a sua definição para que as mesmas sejam comparáveis entre inspeções realizadas por diferentes inspetores e para que sejam perfeitamente entendíveis pelos proprietários dos veículos inspecionados";

- "Introdução de anexo específico para deficiências relacionadas com veículos Híbridos e Elétricos";

- "Introdução de deficiências específicas de veículos de transporte de crianças e de transporte de deficientes";

- "Introdução de deficiências relacionadas com sistemas EPS (Direção Assistida Eletrónica), EBS (Sistema de Travagem Eletrónico) e ESC (Controlo Eletrónico de Estabilidade)";

- "Definição de novos valores máximos de opacidade de acordo com a Diretiva".

Foram ainda introduzidas dois novos tipos de deficiências:

- "O controlo de alteração do n.º de quilómetros entre inspeções no sentido de precaver eventuais fraudes de manipulação dos conta-quilómetros nos atos de transações de veículos usados. Ou seja, será anotada esta informação na ficha de inspeção que se manterá como informação obrigatória nas inspeções subsequentes";

- "Controlo das necessárias operações de Recall quando estão envolvidas questões de segurança e aspetos relativos à proteção do ambiente". 

Ainda no comunicado é referido que "os veículos devem ser apresentados à inspeção em condições mormais de circulação e em perfeito estado de limpeza a fim de permitir a realização de todas as observações e verificações exigidas " ou seja, na prática, "sempre que as condições de limpeza prejudiquem as observações durante a inspeção, o veículo deve ser reproado e o inspetor deve descrever na ficha de inspeção a não realização dos ensaios e verificações correspondentes à inspeção por não existirem condições de limpeza".

Para que os centros de inspeção adaptem-se a estas novas regras, a mesma deliberação entrará em vigor no dia 1 de novembro de 2020, facilitando assim o cumprimento das mesmas.